• Home »
  • Geral »
  • Hojé é Black Friday, cuidado para não cair nas ciladas das liquidações

Hojé é Black Friday, cuidado para não cair nas ciladas das liquidações

blackfriday2

Black Friday em Nova York  é uma sandice. Por lá, a data promocional, que se segue ao feriado de Thanksgiving, é tradição e os preços despencam lindamente. As pessoas surtam, lotam as lojas, fazem filas quilométricas, e gastam o que tem e o que não tem para garantir, no mínimo, ótimos presentes de Natal.

O Brasil, sempre tão “original e criativo”, vem se metendo nesse negócio e, pelas experiências anteriores, há suspeitas de que a Black Friday esteja mais para Black Fraude, uma vez que parece que os preços primeiro sobem, para depois apenas voltarem para patamares originais. Este ano, em todo caso, tudo indica que há uma disponibilidade do comércio de entrar na onda para valer. Adotado originalmente pelas lojas de eletro-eletrônicos, hoje (29) lojas de outros segmentos prometem abrir as portas oferecendo promoções, como acessórios (Chilli Beans, Acessorize), artigos esportivos (Centauro) e perfumarias (Opaque).

Então valem algumas dicas para evitar o desperdício em dia de liquidação, o que é bem comum. O barato pode sair caro se a gente não controlar o impulso, encher o carrinho e acabar levando pra casa um monte de produtos que vão ficar no fundo do armário em 3, 2, 1…  Se o proposta é comprar roupas nesta Black Friday, tome alguns cuidados. Primeiro: antes de sair de casa, olhe, com calma, TODAS as roupas que você tem no armário. Liste (vale escrever mesmo) as peças básicas que você tem e as que faltam. Não dá para viver sem: uma camisa branca, um blazer preto, uma saia preta, um jeans básico, uma calça de alfaiataria, uma jaqueta de couro, um cinto fininho, um sapato social e uma sapatilha. Um tênis esportivo também é obrigatório. Só vá às compras sabendo exatamente o que você precisa.

Registre qual a cor predominante entre as peças que você já possui. Assim, na hora de escolher, leve apenas o que realmente importa. E lembre-se de adquirir peças que possam formar o maior número de combinações possíveis entre elas. De nada adianta levar um monte de roupa da liquidação, se nada combina com coisa alguma. Comprar uma cor só porque está na moda, mas que não combina com o seu tom de pele, também é um atalho para o encalhe no armário.

E, é sempre bom lembrar: na hora de comprar, deixe em casa a síndrome do 38. Respeite o seu biótipo. Não se preocupe em saber se uma roupa fica bem para gordas ou magras. Esteja certa de que a roupa fica bem para você, se veste perfeitamente no seu corpo. Esqueça a numeração. Compre pelo conforto, pelo caimento, não pelo manequim. E boas compras!

 Fonte: R7

Compartilha