Mulher e homem mortos com um tiro na cabeça são encontrados em motel

Casal estava com uma alta quantia em dinheiro. Funcionários ouviram os tiros e chamaram a polícia.

Um caso de assassinato e tentativa de suicídio, ocorrido dentro de um motel, em Campo Grande, Cariacica(ES), foi registrado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), às 21h30 deste domingo (24).

A ocorrência está cercada de mistério. Uma mulher não identificada foi executada com um tiro na cabeça. O provável autor do crime, o homem que a acompanhava, está em estado grave no Hospital São Lucas, após tentar se matar com um tiro na cabeça.

motel

Segundo informações passadas pela DHPP, Anderson Pereira, 36 anos – natural de Minas Gerais – chegou ao motel por volta das 20h30 de domingo, a bordo do Vectra GTX, placas GTX ELH 9254, acompanhado pela mulher desconhecida. O casal se instalou na suíte 101 e tudo parecia normal.

Mas, no horário do crime, os funcionários escutaram os tiros. Assustados, eles acionaram o proprietário do motel, que já estava a caminho do estabelecimento, sem saber o que havia ocorrido. Por segurança, ele passou pelo Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Cariacica e solicitou apoio policial, após explicar o que havia ocorrido.

Ao chegarem no motel, a cena encontrada era assustadora: a mulher estava caída, perto da banheira do banheiro da suíte. O corpo de Anderson estava caído sobre o dela, ainda com vida. Nas mãos da mulher estava a quantia de R$ 400,00. Já nas roupas do homem, os policiais encontraram R$ 4,1 mil em dinheiro. E mais R$ 3,3 mil estavam no porta-luvas do Vectra. Uma Bíblia também estava dentro do carro.

A mulher possuía flores tatuadas na mão esquerda e estava com parte do cabelo raspado. Mas o estranho corte não havia sido realizado dentro do motel. Ela não portava nenhum tipo de documento que ajudasse na identificação.

Outro detalhe curioso notado pelos policiais: dentro do quarto havia 17 latinhas de cerveja abertas, mas não consumidas pelo casal. Não foram encontradas drogas na suíte, nem no carro de Anderson. Os funcionários do motel garantiram para os investigadores que ninguém havia entrado no quarto com o casal, nem saído do motel após o crime.

Compartilha