Empresário mata namorada dentro de motel na BR 262, em Cariacica(ES)

O homem de 36 anos ainda tentou tirar a própria vida com um tiro na nuca.

Uma briga de casal que se arrastava há três dias terminou em tragédia dentro de um motel em Campo Grande, Cariacica(ES). A polícia acredita que o empresário Anderson Pereira, de 36 anos, matou a namorada, Jaine Carla Leria Gonçalves, de 20 anos, com um tiro na cabeça e depois tentou se matar, com um tiro na nuca, na noite de domingo.

Ele foi socorrido por uma ambulância e permanecia internado no Hospital São Lucas, em Vitória. O casal entrou no motel também na noite de domingo, a bordo do Vectra GTX ELH 9254, de Sorocaba (SP).

anderson1

Segundo uma atendente do motel, Anderson teria tentado sair do local, porém foi informado de que só poderia encerrar a conta depois que a suíte fosse vistoriada. Momentos depois, por volta das 21h30 de domingo, funcionários escutaram o barulho de tiro.

“A hipótese mais provável é de que ele já tivesse matado a namorada no quarto, tentou sair e, como não conseguiu, voltou e deu um tiro na própria nuca”, relatou o delegado Adroaldo Lopes, titular da Delegacia de Homicídio e Proteção à Mulher (DHPM).

Logo após ouvir os disparos, uma funcionária ligou para o dono do motel – que já estava a caminho do estabelecimento – e ele passou pelo Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Cariacica e solicitou apoio policial.

Pistola

Dentro da suíte, a mulher estava caída, perto da banheira. Ela vestia blusa e um short jeans. Anderson estava caído sobre o corpo dela, ainda com vida, e vestia somente calça. Entre eles, na mão de Anderson, estava uma pistola Glock calibre 380. No carregador havia três munições intactas.

Embaixo do corpo de Jaine estava quantia de R$ 400. Já no bolso da calça de Anderson os policiais encontraram R$ 4,1 mil em dinheiro. E mais R$ 3,3 mil estavam no porta-luvas do Vectra. Uma Bíblia também estava dentro do carro.

Outro detalhe curioso notado pelos policiais: dentro do quarto havia 17 latinhas de cerveja abertas – mas não consumidas – e alimentos. Não foram encontradas drogas na suíte, nem no carro de Anderson. Os funcionários do motel garantiram para os investigadores que ninguém havia entrado no quarto com o casal.

Vítima não via família havia 10 meses

A família de Jaine foi localizada pela polícia e, por telefone, o pai da jovem contou que não via a filha havia mais de 10 meses. Ela é natural de São Paulo e teria saído de lá para morar com Anderson, no Espírito Santo. Já Anderson, é natural de Minas Gerais. Vizinhos do casal disseram que há 15 dias Jaine apareceu com o cabelo raspado e desde então passou a se vestir como um homem.

Em Guarapari, briga começou na quinta-feira

A briga entre Jaine e Anderson teria começado na última quinta-feira, dia 21. O casal morava havia cerca de dois meses, em um apartamento alugado, localizado na Praia do Morro, em Guarapari. Na manhã de quinta, um morador de prédio acionou a Polícia Militar, relatando que a portaria do local havia sido arrombada.

Ao chegar no edifício, peritos constataram o arrombamento e viram um rastro de sangue de seguia até o apartamento do casal. À noite, PM levou os dois até o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) da cidade. Em depoimento, Anderson disse que o casal havia brigado e por isso o rastro de sangue. Eles não quiseram prestar queixa e foram liberados. Anderson admitiu que ele e a namorada eram usuários de cocaína.


Compartilha