Arcelormittal tubarão contrata mais 230 funcionários efetivos

Empresa sai da crise e vai religar alto-forno em junho de 2014.

arcelomittal

Depois de amargar quatro anos de crise, o setor siderúrgico comemora a retomada dos negócios. Na ArcelorMittal Tubarão, 2014 marcará a reativação do terceiro alto-forno – aumentando em 2,5 milhões de toneladas a produção anual da empresa – e garantindo a contratação de mais 230 funcionários efetivos.

Com a entrada de mais um terceiro equipamento, a siderúrgica tem previsão de fechar o ano com produção de 4,6 milhões de toneladas de placas, 16,8% a mais do que a registrada no ano passado. Com metade de 2014 para operar, o alto-forno 3 deverá produzir 900 mil toneladas de placas no próximo ano.

As informações foram dadas pelo diretor-presidente da ArcelorMittal Tubarão, Benjamin Baptista, que é também o presidente da holding da empresa no Brasil. “A análise que os executivos do setor fazem é que em 2014 será mantida a produção deste ano, mais o que será acrescentado com o terceiro alto-forno em Tubarão”.

Ainda na siderúrgica de Tubarão, os projetos não preveem investimentos de elevado montante, mas a adoção de medidas de redução de custos, agilização e mudanças de procedimentos para terminar 2013 com uma redução de custos de US$ 127 milhões na siderúrgica, que completa 30 anos amanhã.

Apesar de ainda haver excesso de aço no mercado mundial, Baptista avalia que o crescimento da economia brasileira garante mais aço no mercado. Este ano deve fechar com crescimento de 10% na produção de veículos.

“No Brasil, a relação é de sete habitantes para um carro; nos Estados Unidos, é de um habitante por carro. Por isso é que já estamos preparando investimentos na unidade de Vega do Sul (SC), onde termos a linha de laminados a frio e galvanização”, explica.

acellormittal2

A assessoria da ArcelorMittal Tubarão informou que as contratações serão feitas em janeiro, fevereiro e março e 80% delas serão para candidatos com ensino médio completo e 20% serão divididas entre técnicos em Mecânica, Elétrica e Metalurgia. O currículo deve ser cadastrado no site www.arcelormittal.com/br/tubarao.

Praia Mole não tem espaço para superporto

O presidente da ArcelorMittal Brasil e também da planta de Tubarão, Benjamin Baptista, afirmou que a região de Praia Mole não oferece condições para instalação de um superporto, como querem alguns setores da economia no Estado.

A pedido do governador Renato Casagrande, o consórcio que gerencia Praia Mole – formado pela ArcelorMittal Tubarão, Usiminas e Gerdau (Açominas) – está realizando um estudo para definir a possibilidade de instalação de um terminal de contêineres e carga geral em Praia Mole.

“Nós já explicamos para o governador e outras autoridades que o principal empecilho para um superporto no local é mesmo a falta de terreno para a construção de uma retroárea grande o suficiente para atender este tipo de empreendimento”, afirmou Baptista.

Mesmo assim, segundo ele, o consórcio aceitou fazer o estudo para a implantação de um terminal de contêiner no local.

O porto funciona a partir do navio que chega primeiro para ser descarregado ou carregado. No caso de contêiner, podem existir prioridades em algumas cargas, e nós não temos condições de atender”, explicou Baptista, em entrevista na tarde desta quinta-feira (28).

Em Cariacica, produção maior

O grupo ArcelorMittal pretende ampliar também a produção na unidade de Cariacica, onde são produzidos aços longos destinados ao setor da construção civil. “Vamos ampliar em 200 mil toneladas por ano nos próximos dois anos, elevando o volume anula para 700 mil toneladas”, explica Benjamin Baptista. Não serão feitos investimentos, mas sim a adoção de medidas para melhorar a produtividade da planta.


Compartilha