Aracruz(ES) pode ganhar porto para combustíveis

Movimentação chegará a 1,5 bilhão de litros. “Obra só sai se houver recursos públicos”.

A multinacional Odfjell planeja investir cerca de R$ 1,2 bilhão na construção do sistema de tancagem para a movimentação de granel líquido no terminal que vai construir em Barra do Riacho, no município de Aracruz(ES). O empreendimento terá capacidade para a movimentação de 1,5 bilhão de litros (gasolina, álcool e óleo diesel), do primeiro ao oitavo ano de operação.

O presidente da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), Clóvis Lascosque, disse que, para a multinacional (com escritório no Brasil) implantar o parque de tancagem em área privada, o setor público – no caso a Codesa – precisa construir o píer para receber as embarcações que farão o transporte do combustível.

A Codesa tem o projeto e as licenças para a construção do píer, mas não tem dinheiro. Por essa razão, Lascosque pediu à bancada federal a apresentação de emenda, na tentativa de assegurar o recurso financeiro necessário para a construção do pier. Ele pediu que fosse apresentada emenda no valor de R$ 50 milhões. Mas o montante de R$ 33 milhões, segundo ele, é suficiente para a implementação do projeto.

“Hoje o Espírito Santo está sem instalação adequada para movimentar granel líquido”, destacou Lascosque, ao ressaltar a importância do projeto para a economia local.

Transporte
A empresa, explicou, poderá trazer granel líquido de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia pelo modal marítimo. Depois poderá fazer a distribuição para o Espírito Santo, Sul da Bahia, Norte do Rio de Janeiro e Minas Gerais pelo modal rodoviário.

A Codesa, acrescentou o executivo, a partir do momento em que tiver o dinheiro garantido, poderá construir o píer no prazodeumano. Ele lembrou que faz 13 anos que a companhia elaborou o projeto, que ainda não foi implementado pela falta de recurso financeiro. O projeto tem estudo ambiental e também estudo de manobrabilidade.

As negociações da Codesa com a Odfjell objetivam a parceria para a implantação do projeto. A Companhia Docas, que representa o setor público, se responsabiliza pela construção do píer, em área do porto organizado.A multinacional, fica com a responsabilidade de construir o parque de tancagem em área privada e também da gestão do terminal.

Segundo Lascosque a empresa, inclusive, já adquiriu a área que abrigará os tanques para a armazenagem de combustíveis.


Compartilha